João Paulo de Vasconcelos

Ilhas Flutuantes de Uros

Os habitantes das ilhas flutuantes vivem do turismo. As crianças estão acostumadas a receber visitantes e já pedem "propina" para quem passeia com eles.

Anúncios
Um de nossos companheiros de viagem adquiriu o hábito de comprar presentes para todos os seus amigos, até mesmo para aqueles que já tinham sido riscados da lista do papai noel viajante. Para ele qualquer coisa diferente era um bom presente, mesmo no lugar mais improvável para isso como uma ilha flutuante no meio do Lago Titicaca.
– Eu gostei do chapéu daquela menina. – Ele diz para uma mulher idosa que vendia várias peças de artesanato enquanto apontava para uma criança que andava perto da água. – Você tem algum parecido?
– Não, mas você pode levar o dela. – Respondeu a mulher que já gritava para a menina correr até lá e entregar o chapéu enquanto nosso amigo desistia da compra por pena da garota.
Isso é uma situação mais do que normal no Peru, especialmente nas Ilhas Flutuantes de Uros. Não são ilhas normais que sempre estiveram lá e tem uma vida considerada comum no século XXI. São mais de 80 ilhas espalhadas pelo Lago Titicaca, na fronteira entre o Peru e a Bolívia, que foram construídas pelos seus habitantes usando plantas aquáticas chamadas Totoras. A população das ilhas vive basicamente do turismo e do escambo com a cidade peruana de Puno, onde trocam artesanato e matérias-primas por comida e outros artigos.
O artesanato é muito comum nas ilhas, e em qualquer parada do barco vai existir alguém pronto para vender alguma coisa.
Os turistas que visitam as ilhas são extremamente bem tratados por todos os habitantes. Na ilha “principal” existe até um restaurante onde são servidos pratos típicos como Ceviche, e trutas fritas que são pescadas diretamente no lago à maneira antiga: com lanças.

Para visitar as Ilhas Flutuantes de Uros basta pegar um barco da cidade de Puno, no Peru. São apenas 30 minutos pelo lago em águas tranquilas até chegar na primeira parada. Também é possível visitar as ilhas partindo de Copacabana, na Bolívia, porém a viagem leva mais do que o dobro do tempo.
Para ver mais imagens do Peru, visite meu site: jpdevasconcelos.com
Anúncios

Anúncios